Comunicação empresarial estratégica: o que é e qual sua importância para os negócios?

Neste post explicaremos o que é a comunicação empresarial estratégica, de que maneira implementar esse modelo e quais são os seus benefícios.

Nos últimos anos, as empresas aumentaram o seu interesse pela comunicação empresarial estratégica. Cada vez mais vemos a necessidade de um planejamento efetivo de comunicação dentro das organizações.

No entanto, ainda há muitas dúvidas sobre o que seria esse tipo de comunicação, o seu funcionamento e benefícios. A falta de informação impede que muitas empresas implantem esse tipo de comunicação no processo de gestão.

Para que ela se torne realidade, é necessário apoio de gestão, da cultura organizacional da empresa e de recursos humanos, tecnológicos e financeiros. São condições básicas para a sua existência.

Uma estratégia corporativa eficaz faz seus planejamentos considerando fatores internos e externos e prevê conflitos que podem ser superados.

No entanto, de que maneira a comunicação empresarial e estratégia se alinham? Como ela pode ser um item competitivo para minha empresa?

O planejamento deve adotar medidas decisivas e buscar resultados cada vez melhores na condução de atividades pró-ativas.

O que é a comunicação empresarial estratégica?

Antes de tudo, vamos explicar o que seria a comunicação empresarial estratégica. Primeiro, não se trata de uma mera descrição de ações isoladas, de produtos e os seus custos de execução. Essa perspectiva é ultrapassada para qualquer plano de comunicação.

Como dito anteriormente, deve-se englobar fatores internos e externos às ações e fazer a análise do macroambiente – circunstâncias políticas, econômicas e socioculturais. Períodos de recessão devem mudar os planos estratégicos, adaptá-los ao novo contexto.

A análise interna da organização prevê a realidade da empresa no mercado, seus pontos fracos e fortes. Devem-se estabelecer métodos sistemáticos de avaliação. Não adianta mudar sem saber qual é efetivamente o problema. Você corre o risco de modificar uma estratégia ou ação que é positiva para organização. Por isso, existe a necessidade de realizar diagnósticos.

Avalie também os resultados, por exemplo, assessoria de imprensa, patrocínio, publicações, vendas, lucro etc. Não se esqueça de considerar a concorrência nessas análises.

A comunicação empresarial estratégica está no processo de gestão como um todo, não basta ter somente criatividade, “feeling” e experiência profissional. Ela requer pesquisa, conhecimento sobre os processos, montagem de banco de dados, análise dos dados, dos mercados e dos concorrentes, gestão da informação e conhecimento.

Não é à toa que o número de cargos com a denominação “analista” aumentou. O novo contexto no qual estamos inseridos demanda profissionais analíticos e ao mesmo pesquisadores.

Há muita informação com possibilidade de acesso, o diferencial será como analisar, o que de importante tem ali para a organização e como fazer para que todos os envolvidos tenham conhecimento sobre essas informações e as usem como estratégias antes de executarem suas funções.

É importante que todos os funcionários falem a mesma linguagem para viabilizar a implantação do planejamento estratégico.

Uma pesquisa feita pela Symnetics, líder de gestão da estratégia na América Latina, e com dados publicados pela Folha de S. Paulo, entrevistou 150 executivos de empresas que faturam 50 milhões de reais por ano. Concluiu-se que 83% dos diretores participam das prioridades estratégicas e apenas 50% dos gerentes se envolvem nessa discussão.

Ou seja, apenas metade dos gerentes conhece os valores estratégicos dessas organizações e participa de suas formulações.

Muitos profissionais ficam excluídos desse processo, o que é considerado um erro grave, pois segundo o coordenador da pesquisa, Reinaldo Manzini, citando como exemplo uma fábrica, “aquelas pessoas que conhecem o chão de fábrica é que sabem se uma determinada decisão terá ou não sucesso”. “Há uma diferenciação entre o fazer e o pensar” que afeta o processo estratégico da empresa.

Isso não só acontece em fábricas ou empresas de grande de porte, mas atinge todas as organizações. Portanto, se sua empresa é pequena ou média, não importa, o plano estratégico deve participar da rotina de todos os profissionais envolvidos.

Não se esqueça de que a comunicação empresarial estratégica lida com públicos diferenciados. No âmbito interno, verifique os setores ou departamentos da sua empresa. No externo, considere a segmentação do mercado para os nichos e para perfis mais complexos de consumidores.

Os modelos, valores e padrões precisam estar em sintonia com a cultura organizacional, com a dinâmica do mercado e com os objetivos maiores da organização.

Para o professor e pesquisador de Comunicação Empresarial, Wilson da Costa Bueno

“A comunicação empresarial estratégica deve priorizar a personalização dos contatos, potencializada pelas novas tecnologias, mas admitir sempre que as formas de relacionamento dependem de contextos sociais e culturais específicos. Cada público, cada país, cada sociedade exibem características peculiares em função de seu background, de sua trajetória e de sua forma de contemplar o mundo.

[…]a sociedade se estrutura, gradativamente, em redes e atravessamos, definitivamente, um momento de transição, em que os mercados convencionais vão sendo substituídos e, com eles, a forma de produzir e comercializar mercadorias (bens físicos ou culturais).” (p. 9, A comunicação empresarial estratégica)

Qual a importância da comunicação empresarial estratégica para as empresas?

Mesmo a estratégia sendo importante para o meio empresarial, ainda há resistência e falta de conhecimento em implantar esse tipo de modelo nas organizações. Muitas empresas não levam o termo “estratégia” como um conceito.

Na comunicação empresarial estratégica é essencial saber quais são seus pontos fortes e fracos no mercado.

Ao contrário, falam que adotam estratégias, mas no cotidiano elas não estão aliadas à gestão. Esse modelo traz para a organização uma atitude diferenciada, pois permite a ela adaptar-se às constantes mudanças e incertezas do mercado. O plano estratégico assume uma importante perspectiva na empresa – agora tudo deve ser pensado e planejado.

Para competir em um mercado globalizado, as empresas precisam antecipar as transformações e verificar o que constitui oportunidade e ameaça.

Lembre-se: o plano estratégico não é único e imutável, o uso da estratégia está justamente em avaliar e reavaliar o ambiente mercadológico, cultural e os valores da organização, como suas relações de poder existentes.

Todos na organização devem estar envolvidos e motivados para esse planejamento. Assim, é importante que a estratégia seja partilhada e não imposta. Após o consenso deve ser documentada e torna-se uma referência para decisões e movimentos estratégicos.

Esse plano precisa ter um objetivo, ou seja, qual o estado, a situação ou o resultado que a organização pretende atingir. A função da comunicação é avaliar os públicos interno, externo e fornecedores. Eles devem conhecer e visualizar suas atuações nesses objetivos.

Deve possibilitar que todos falem, discutam e troquem ideias sobre como a empresa está atuando. Facilitar a comunicação na organização é fundamental para conseguir uniformizar as informações para todos os funcionários.

Também deve ser capaz de criar um ambiente de pertencimento ao processo para os colaboradores. É preciso motivá-los.

Executivos, chefes, gestores e coordenadores precisam dedicar atenção a questões de integração, comunicação escrita, falada e interpessoal. Comunicar de cima para baixo e não somente de baixo para cima.

Mensurar os aspectos críticos ou diferenciais possibilita que a organização tenha uma visão sobre o futuro e um caminho que poderá ser revisto continuamente, considerando as informações obtidas sobre os principais concorrentes, inovações tecnológicas e a expectativa de seus clientes.

A comunicação empresarial estratégica é um processo, e situações novas sempre acontecem. Quando elas ocorrerem é importante uma reavaliação da estratégia para ajustes e correções. Não se esqueça de que essas alterações devem ser comunicadas e, principalmente, explicadas.

Exponha os fatores que levaram a essas alterações e o que se pretende com as mudanças. É necessário ser claro e coesivo quando se passa as informações, quanto mais os funcionários entenderem o contexto no qual a organização está inserida, melhor será o resultado.

Eles se sentirão como parte do processo e isso motivará decisões mais pensadas e planejadas sobre as suas funções, levando em conta os objetivos e identidade da empresa.

Boas ideias só surgem quando a empresa tem profissionais motivados para pensar “fora da caixinha”.

Quais são os benefícios deste modelo?

Funcionários motivados

A implementação de uma comunicação estratégica tem como base os colaboradores e a maneira como seus gestores se comunicam com ele. Seguindo as instruções colocadas anteriormente, o nível de motivação da sua equipe aumentará.

Ele não estará na organização para cumprir horário, mas para construir resultados. Por isso, desde o começo falamos de escutar o que eles têm a dizer e da sua importância como participantes ativos no plano estratégico.

Atrair talentos

Uma organização tem lugar no mercado competitivo quando consegue também atrair e reter talentos. No entanto, metodologias empresariais antiquadas e sem valorização do profissional, afastam talentos.

As organizações caminham cada vez mais para ambientes profissionais diversificados, mais de uma geração convive no mesmo espaço. Portanto, valorizar o diálogo e a diversidade acarreta pontos e profissionais dispostos a tornar sua marca forte no mercado.

Identidade e divulgação da marca

A identidade de uma empresa se constrói de dentro para fora. Profissionais satisfeitos ajudam a fortalecer a sua marca. O “boca a boca” é ainda a maneira mais eficaz de divulgação. Os clientes esperam ter contato com funcionários dispostos a ajudar e resolver seus problemas.

Além disso, um planejamento comunicacional estratégico trará informações valiosas sobre os seus consumidores, principais hábitos, estilo de compra, dados sobre a frequência de uso da internet e redes sociais e métricas de ROI.

São pontos essências para atingir o público-alvo com ações de marketing mais eficientes e expandir os seus negócios e tornar a marca forte e bem estabelecida.

Gestão de conflitos

A implementação desse modelo traz para a gestão a necessidade de avaliações periódicas sobre os processos de produção, vendas, compras, assessoria de imprensa, entre outros departamentos.

Isso possibilita prever conflitos e gerenciá-los da melhor maneira. Já falamos que o mercado globalizado exige adaptações e qualquer organização pode passar por problemas. Conhecer sua empresa, a cultura organizacional e o contexto macroeconômico e social ajudam a superá-los com ideias inovadoras.

Implantar a comunicação organizacional estratégica na sua empresa como um conceito a ser seguido vai angariar mais clientes satisfeitos e uma identidade forte e estabelecida no mercado.

Conte-nos como é a comunicação na sua empresa. O que precisa mudar? Continue acompanhando o nosso blog, pois sempre temos boas dicas para ajudá-lo.

Até a próxima!

Compartilhar

Leave comment

Bitnami